sábado, 17 de novembro de 2012

PREPARE SUA PELE PARA O VERÃO

Quando se fala em preparar a pele para exibi-la bonita e naturalmente bronzeada no verão, a dica mais ouvida é investir nas frutas e vegetais amarelo-alaranjados. 

Alimentos como cenoura, pimentão, abóbora, mamão, manga e os vegetais folhosos de cor verde-escura, como rúcula, couve, brócolis e espinafre. Eles são ricos em betacaroteno, um carotenoide e potente antioxidante, que auxilia na proteção das células do organismo contra a ação de radicais livres e ajuda a prevenir o envelhecimento precoce da pele.

Os efeitos do betacaroteno podem ser observados a curto e a longo prazo. “Quando utilizado para se preparar para pegar um bronzeado, deve ser feita uma suplementação quatro semanas antes da exposição solar para evitar o envelhecimento precoce da pele e favorecer o processo. Já os efeitos preventivos de doenças crônicas são observados no consumo regular a longo prazo”, ensina a nutricionista Kelly de Jesus Viana.

“Quando o betacaroteno se transforma em vitamina A no organismo, colabora para aumentar a elasticidade da pele e auxiliar na formação de melanina, responsável pela cor da pele, mas também ajuda a reforçar o sistema imunológico”, explica a nutricionista Maysa Toloni, doutoranda da Nutrologia da Unifesp.

“Para se obter um efeito antioxidante potencializado, basta combinar o betacaroteno com outros tipos de carotenoides como o licopeno, encontrado principalmente no tomate, pimenta, morango e melancia; a luteína, presente nos folhosos verde-escuros e no pimentão amarelo; além dos micronutrientes, vitamina E, manganês, selênio e zinco, que em quantidades adequadas possuem ação sinérgica, neutralizando os efeitos nocivos dos radicais livres”, explica a nutricionista da Naturalis Ariane Machado Pereira.

Veja a matéria completa no Uol


Partilhar

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

VINHO TINTO AJUDA EM TRATAMENTO CONTRA CÂNCER

O vinho tinto pode ser um dos remédios contra o câncer de próstata graças a um componente que faz as células ficarem mais sensíveis ao tratamento. 

O resveratrol, encontrado geralmente nas cascas de uva e vinho tinto, tem mostrado efeitos benéficos para a saúde humana, com atuação no sistema cardiovascular e prevenção de infarto. As informações são do Daily Mail.

Pela primeira vez, pesquisadores da Universidade de Missouri descobriram que a substância pode deixar as células do câncer de próstata mais suscetíveis à radiação do tratamento de radioterapia. Estudos anteriores já tinham confirmado o efeito na quimioterapia, segundo o professor Michael Nicholl. 

Uma pesquisa recente também descobriu que um copo de vinho tinto por dia aumenta as chances de sobrevivência de mulheres com câncer de mama em até um quinto. O resultado surpreendeu, pois o consumo de álcool é considerado uma das principais causas da doença.

Uma das explicações é que a química no álcool que destrói as células saudáveis também ataca as células cancerígenas. A combinação entre o resveratrol e a radioterapia matou até 97% das células causadoras da doença, porcentagem mais elevada em relação a apenas o tratamento com radiação. O próximo passo é testar a descoberta em animais, antes de iniciar os tratamentos com humanos.

Fonte: Terra


Partilhar

terça-feira, 13 de novembro de 2012

SALGADINHOS SAUDÁVEIS


De salgadinhos a sopas instantâneas, passando por bebidas, o aproveitamento de resíduos industriais pode contribuir para a produção de alimentos de qualidade e, ainda por cima, mais baratos.

Carlos Wanderlei Piler de Carvalho, pesquisador da Embrapa Agroindústria de Alimentos, coordena projeto que reaproveita bagaço de cana de açúcar, de cevada, cascas de maracujá e arroz quebrado para desenvolver alimentos nutritivos, saborosos, funcionais e, principalmente, a custos mais baixos. "Além de oferecer um destino para rejeitos produzidos nas indústrias sucroalcooleira, de sucos e de cerveja, representa também vantagem econômica para quem produz e para quem consome, além de ser benéfico para o meio ambiente", explica Piler.

A técnica utilizada para a produção desses alimentos já é conhecida. Apesar do nome pouco sonoro, a extrusão termoplástica - processo de tratamento térmico, que por uma combinação de calor, umidade e trabalho mecânico, modifica profundamente as matérias primas, dando-lhes novas formas, estruturas e características funcionais e nutricionais - tem resultados bastante apreciados.

Na máquina extrusora podem ser colocados junto à farinha de arroz, separadamente, o bagaço da cana de açúcar, o da cevada ou a casca de maracujá. Submetidos a altas temperaturas, que podem superar os 120º Celsius na hora do cozimento, o produto é moldado em formato de salgadinho ou cereal matinal. "Para obter diversos efeitos no produto final, podemos alternar a força mecânica e a temperatura e adicionar outros ingredientes. Para que um biscoito fique mais aerado e crocante, por exemplo, incluímos mais farinha de arroz. Esta mistura também é necessária para que os produtos tenham mais sabor, além de melhor textura", diz o pesquisador. 

De acordo com Piler, o produto mais difícil de ser processado é o bagaço da cana, por ser bastante fibroso. "Ele contém cerca de 30% de lignina, a mesma fibra da casca das árvores. Mas seu alto teor de celulose, parte de fibra insolúvel, traz benefícios para o consumidor, ajudando a regular o intestino. Além disso, ele possui um sabor adocicado", garante o pesquisador. 

Com a farinha do bagaço da cana ou com o da cevada, ricos em fibras, é possível desenvolver pães, biscoitos e sopas. Já a farinha da casca do maracujá serve para criar bebidas cremosas e biscoitos. O pesquisador orienta um grupo de doutorandos que estuda a fabricação de uma bebida nutritiva à base de cereais, entre eles o arroz.

Fonte: Uol


Partilhar

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

COMIDA POR QUILO


Grande parte da população, principalmente nas áreas urbanas, alimenta-se diariamente em restaurantes que servem refeições “por quilo ” ou “por peso”. É um sistema rápido e eficiente, que atende às demandas da vida moderna, mas que pode oferecer riscos à saúde se a pessoa não souber fazer boas escolhas. Em geral, esses restaurantes apresentam quantidade e variedade tão grande de alimentos que é comum os consumidores exagerarem. Há algumas regras para quem deseja manter a saúde – e principalmente do peso – tendo que se alimentar nesses estabelecimentos:

1- Preste atenção na higiene do local. Observe o visual dos pratos e a qualidade dos alimentos.

2- Lembre-se de que quanto antes chegar ao restaurante, maior a chance de consumir os alimentos mais frescos. Evite chegar no último horário.

3- Hoje em dia já é comum encontrarmos restaurantes que oferecem churrasquinhos bem tostados. São apetitosos, porém perigosos, já que as carnes quando submetidas à altas temperaturas acabam sendo prejudiciais à saúde. Carnes cruas também podem oferecer risco na segurança alimentar, assim opte por carnes bem cozidas ou assadas.

4- Limite o consumo de frituras a uma ou duas vezes na semana.

5- Cuidado com aqueles restaurantes que colocam os doces antes das entradas frias. Essa técnica induz o cliente ao consumo exagerado de doces.

6- Prefira sempre uma fruta fresca ou salada de frutas, no lugar dos doces. Isso porque as frutas, especialmente aquelas ricas em vitamina C (abacaxi, laranja, morango, kiwi) ajudam a absorver o mineral ferro presente nas carnes.

7- Evite a monotonia alimentar, experimente novos sabores e preparações dentro dos grupos de alimentos (verduras, legumes,carnes, leguminosas, cereais, frutas). O prato deve estar sempre colorido, quanto mais cores, melhor a alimentação.

8- Sabe aquele pastelzinho de queijo ou carne, ou coxinha, pão de queijo ou bolinha de queijo, ou ainda a farinha de mandioca? Esses são os grandes responsáveis por aumentar o número de calorias e gorduras da dieta. O ideal é reduzir o consumo, ou consumir apenas um deles, uma vez na semana.

9- E os pães e torradas? Não é preciso incluí-los nessas refeições, já que no almoço consumimos outras fontes de carboidratos como massas, arroz, batata, assim acaba sendo um excedente.

10- Quanto às saladas, tempere-as com azeite e limão, evitando molhos prontos que são ricos em gorduras e sódio.

11- Alguns restaurantes disponibilizam o cardápio do dia seguinte no site e mídias sociais (facebook e twitter), se sobrar um tempinho um dia antes, já dá para pensar e elaborar um prato saudável até antes de chegar ao restaurante. Caso essa alternativa não exista, assim que chegar ao restaurante dê uma olhada geral nas opções disponíveis antes de começar a montar o seu prato; isso favorecerá uma melhor organização das suas escolhas.

12- O que vai beber? O ideal é não consumir líquidos às refeições, isso favorece a boa digestão. Caso não consiga ficar sem a bebida, opte por água ou suco de frutas natural. Melhor ainda é consumir somente meio copo ou 100 ml. Que tal dividir a bebida com um colega?

Fonte: Revista Veja


Partilhar

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

MAIS DE 3 PORÇÕES DE LATICÍNIOS POR DIA PIORA A QUALIDADE DO ESPERMA


Aos homens que apreciam queijo e outros laticínios, uma má notícia. De acordo com uma pesquisa da Escola Pública de Saúde de Harvard, nos Estados Unidos, mais de três porções por dia pode diminuir as chances de se tornarem pais. Os dados são do jornal Daily Mail.

Os cientistas analisaram o esperma de 189 voluntários entre 19 e 25 anos. Nenhum estava acima do peso e praticavam ao menos uma hora e meia de exercícios por semana. Todos preencheram um questionário sobre seus hábitos alimentares.

Constatou-se que os que consumiam mais de três porções (cada porção representa 28,35 g de queijo, uma colher de chá de creme de leite, uma concha de sorvete ou um copo de leite integral) de laticínios ao dia tinham qualidade do esperma 25% inferior.

Myriam Afeiche, líder do estudo, explicou que o leite apresenta o hormônio feminino estrogênio, que pode afetar a fertilidade masculina. Outra possível explicação é a presença de pesticidas, poluentes clorados ou metais pesados na iguaria.

Fonte: Terra


Partilhar

terça-feira, 23 de outubro de 2012

MITOS E VERDADES DA ÁGUA GASOSA


Tem quem adore o efeito das bolhas na boca e seja fã incondicional da água com gás. Outros não são tão chegados. No entanto, muita gente se apega em mitos e acha que a água com gás é pior do que a natural, ou que engorda. Para derrubá-los e apontar o que é, de fato, verdadeiro, a nutricionista paulista Samara Regina Andrade responde essas questões e outras questões.

A ÁGUA COM GÁS É DIFERENTE DA NATURAL? Verdade!
A água com gás contém gás carbônico na composição. Hoje, a maioria das marcas à venda em mercados é do tipo gaseificada artificialmente, um processo industrial igual ao dos refrigerantes, no qual retira-se o oxigênio do líquido e injeta-se, no lugar, o gás carbônico, para dar o efeito frisante. Mas existe também a água com gás natural, que surge do aquecimento subterrâneo, chamada carbogasosa ou carbonatada. Geralmente em regiões próximas de vulcões, ou onde a camada de magma está mais próxima da superfície terrestre, o calor do magma atravessa as rochas e alcançam os reservatórios de água. O calor intenso quebra as moléculas dos minerais da água, liberando vapores e incorporando os gases ao líquido. O gás, nesse tipo de água, é bem mais suave.

A ÁGUA COM GÁS NÃO É TÃO SAUDÁVEL QUANTO A NATURAL? Mentira! 
A água gasosa tem as mesmas propriedades de hidratação que a água natural. Optar pela água com gás é uma boa forma de variar o consumo do líquido. O que não pode é apenas consumir este tipo: o gás em excesso pode irritar a mucosa do estômago daqueles já predispostos a problemas gastrintestinais.

A ÁGUA COM GÁS ENGORDA? INCHA? Mentira!
Água, com ou sem gás, não possui calorias. Portanto, não engorda nem incha. Muitos confundem água gasosa com refrigerantes, bebidas bem engordativas. No entanto, não é o gás o responsável direto por isso, e sim as calorias do açúcar contido na bebida.

A ÁGUA COM GÁS SERVIDA COM O CAFEZINHO: SERVE PARA LIMPAR A BOCA? Verdade! 
O pequeno copo que hoje acompanha os cafezinhos em bares e restaurantes não deve ser bebido depois do café, mas sim antes, para limpar as papilas gustativas. Como as papilas são sensíveis, quando limpas nos permitem aproveitar melhor o sabor do cafezinho. Aliás, a água com gás funciona da mesma forma para os vinhos: bebendo um pouquinho antes, o sabor da bebida é melhor apreciado.

Fonte: ig


Partilhar

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

6 ERROS COMUNS NA HORA DE ALIMENTAR O SEU FILHO


Preparar a refeição com todo o carinho, chamar o filho para comer, mantê-lo sentado à mesa com os demais para fazer uma refeição em família. Parece fácil, mas, na prática, a hora de comer pode se transformar em uma batalha. Para vencer essa luta, pais e mães acabam lançando mão de alguns artifícios que até parecem resolver no momento, mas se tornam um problema no futuro. Veja quais são as situações em que os pais mais se atrapalham na hora de alimentar os filhos e confira as melhores estratégias para contornar cada problema: 

1 - PRESSIONAR OS FILHOS A COMER MAIS 

Um estudo realizado pela Universidade de Stanford com 62 famílias, que tinham filhos de 2 a 4 anos com alto risco de obesidade, revelou que diminuir a pressão na hora de comer reduz também o risco de obesidade entre as crianças. A nutricionista Maria Emília Suplicy, do Hospital Pequeno Príncipe (PR), explica. "Quando a criança é forçada a ‘limpar o prato’, acaba perdendo o senso de saciedade." 

O QUE FAZER: Comer bem não é comer muito. Ofereça uma quantidade moderada de alimentos ao seu filho para que ele se acostume a comer até ficar satisfeito, e não estufado. Se ainda estiver com fome, vai pedir mais - para a sua alegria! 

2 – INVENTAR APELIDOS OU CAMUFLAR VEGETAIS 

Pesquisadores da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, analisaram o comportamento de 147 estudantes, de 8 a 11 anos, durante o recreio em diferentes escolas americanas. E constataram que crianças comiam mais alimentos saudáveis quando o nome real deles era substituído por apelidos mais instigantes, como ‘pequenas árvores saborosas’, em vez de brócolis. Essa é uma prática comum, assim como camuflar vegetais que não agradam as crianças no meio da comida. Essas táticas podem até ser eficientes a curto prazo, mas são prejudiciais. À medida em que a criança cresce, ficará mais difícil driblá-la, e ela passará a se negar a comer os alimentos. 

O QUE FAZER: Converse com as crianças sobre os benefícios reais trazidos por alimentos saudáveis. Não é preciso dizer que a cenoura fará com que seu filho tenha visão de raio-X, por exemplo, basta falar que ela faz bem à visão, a pele, entre outras coisas. Quanto mais cedo começar essa conversa, mais fácil será convencê-lo. 

3- MANDAR AS CRIANÇAS PARA FORA DA COZINHA ENQUANTO VOCÊ PREPARA A REFEIÇÃO

Fogo, faca, forno. A cozinha é mesmo o cômodo mais perigoso da casa. Mas especialistas afirmam que cozinhar junto com o filho pode ajudar a mudar os hábitos alimentares dele e até estimulá-lo a consumir mais verduras e legumes. 

O QUE FAZER: Sempre com você por perto, seu filho pode, sim, brincar com massas, lavar uma fruta e ajudar a misturar ingredientes, por exemplo. E mesmo no cadeirão, ele pode observar você no preparo das refeições. Assim, entre um prato e outro, vai conhecer os legumes e se interessar por eles. Levá-lo à feira ou ao supermercado e permitir que ele escolha alimentos também é uma boa forma de incentivá-lo a ter uma alimentação saudável. 

4 - DEIXAR AS GULOSEIMAS LONGE DAS CRIANÇAS E OFERECÊ-LAS COMO RECOMPENSA

Onde você guarda as guloseimas na sua casa? Esse lugar pode fazer toda a diferença. Você sabe bem que criança adora tudo que é proibido e também gosta de brincar de caça ao tesouro, então, esconder doces e guloseimas pode ser um estímulo. 

O QUE FAZER: Para evitar que seu filho coma guloseimas sem parar, crie regras de consumo, diga a ele quando e em que situações poderá comer. Isso fica mais fácil quando a criança ainda é pequena, porque ela se acostumará. Mas, se seu filho já é maior, deixe os doces para os fins de semana. Se ele pedir mesmo assim, seja forte e diga não. Também não vale oferecer como recompensa em troca de um ‘prato limpo’: isso pode fazer com que a criança encare a comida como vilã. 

5 - OFERECER VERDURAS E LEGUMES SEM GRAÇA 

Se tem uma coisa com a qual todo mundo concorda é que ensopadinho de chuchu não é um prato que se possa chamar de tentador. Mas dá para deixar as verduras e legumes um pouco mais atrativos, sim!

O QUE FAZER: O trabalho começa já na hora da compra. Vegetais frescos têm aparência melhor. Cuidado para não deixar aqueles que precisam ser preparados no vapor passar do ponto, desligando o fogo quando eles ainda estão crocantes. E não é preciso decorar cuidadosamente o prato, com carinhas, por exemplo, todos os dias. Como isso também é uma forma de camuflar os alimentos, use a tática com moderação (em dias especiais, por exemplo). Cortar em cubinhos ou em rodelas já é suficiente. 

6 - DESISTIR RÁPIDO DEMAIS AO OFERECER UM NOVO ALIMENTO 

Pense no milho. Ele pode ser apresentado em diferentes formas: na salada, cozido, refogado, como bolinho, creme, suco e até bolo. Este é o exemplo que você precisa seguir em casa antes de dizer que seu filho não gosta mesmo de determinado alimento. 

O QUE FAZER: Os pediatras aconselham a oferecer o mesmo alimento, pelo menos, de sete jeitos diferentes e várias vezes. Não é um exagero. A criança pode não comer no primeiro dia, mas aos poucos, a forma de apresentação ou a curiosidade vai levá-la a experimentar e ele pode gostar. Mas, se depois de todas as tentativas ela continuar se recusando a comer, aí sim, você pode dizer que ela não gosta.



Partilhar

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

SUBSTITUA A MANTEIGA E MARGARINA


O pãozinho nosso de cada dia pode ganhar acompanhamentos muito mais saudáveis e saborosos do que a manteiga e a margarina. Embora sejam tradicionais e favoritas nas mesas brasileiras, ambas têm o seu lado de vilãs.

“A manteiga é rica em gordura saturada. Consumida em excesso, aumenta o risco de doenças cardiovasculares e contribui para a inflamação do organismo”, afirma Natália Colombo, nutricionista da NCNutre – Nutrição Funcional Individualizada. Mesmo assim, ela ainda é melhor que a margarina, pois é rica em ácido butírico, que ajuda a prevenir o câncer intestinal, e também é fonte de vitamina A, segundo Bruna Murta, nutricionista da rede Mundo Verde. “Entretanto, deve ser consumida com moderação: três vezes por semana, passando apenas a ponta da faca com manteiga no pão”, recomenda. 

Já a margarina, segundo as especialistas, não contém nenhum nutriente. “Devido à sua estrutura, não é reconhecida pelo corpo como alimento”, observa Murta. Ela explica que a margarina é produzida artificialmente, por meio do processo de hidrogenação de óleos vegetais, para ficar sólida. Este processo acaba formando as temíveis gorduras trans, que ativam reações inflamatórias, bloqueiam substâncias vasodilatadoras, levando ao aumento da pressão arterial, prejudicam o sistema imunológico e aumentam o risco de câncer.

Por conta disso, os próprios fabricantes têm buscado recursos para melhorar os seus produtos como, por exemplo, o uso de substâncias que ajudam a absorver o colesterol (os fitoesteróis) ou de processo para reduzir as gorduras trans, chamado tecnicamente de interesterificação.

MANTEIGA DE OLEAGINOSAS

Uma alternativa caseira bem saudável é a manteiga de oleaginosas, feita com castanhas como amêndoas, avelãs ou nozes. O preparo é fácil: basta tostar as castanhas e passá-las num processador até obter uma pasta. A partir daí, vale a criatividade para diversificar os sabores, adicionando mel, cacau em pó ou baunilha, entre outros produtos.

“As castanhas possuem uma grande quantidade de gorduras boas, ou seja, ácidos graxos mono e poli-insaturados, além de vitaminas B e E, cálcio, ferro, magnésio e arginina, que ajuda a regular a pressão arterial e melhorar a imunidade”, relata Colombo.

Ainda, segundo a nutricionista, as oleaginosas são ricas em selênio, que contribui no combate aos antioxidantes, substâncias produzidas pelo organismo que causam o envelhecimento precoce.

Outra dica é fazer a manteiga de azeite de oliva extra virgem, incluindo as ervas e os condimentos que preferir. Este azeite previne doenças cardiovasculares ao diminuir o chamado colesterol ruim e aumentar o colesterol bom. “Além disso, é anti-inflamatório, previne alguns tipos de câncer, ajuda a reduzir a gordura visceral e melhora a saúde da pele, entre outros benefícios”, diz.

VERSÃO MELHORADA

Para quem não quer mudar radicalmente, a nutricionista sugere a “manteiga melhorada”, uma mistura da manteiga tradicional com a mesma quantidade de azeite de oliva extra virgem. “Assim, é possível diminuir os impactos negativos de um produto e agregar os pontos positivos do outro. E quando você acrescenta ervas, adiciona os benefícios delas também”.

No caso dos azeites, Colombo reforça que o ideal é usar os do tipo extra virgem com acidez máxima de 0,5% a 0,8%, acondicionados em vidros escuros, pois preservam mais a qualidade.

Pastas de grão de bico (húmus), de tofu e de soja também são opções saudáveis para acompanhar pães frescos, torradas e bolachas, sugere Murta. Já no preparo de bolos, doces e tortas, a nutricionista recomenda usar óleos vegetais, como os de canola, girassol ou coco, inclusive para untar as formas, pois eles apresentam benefícios semelhantes aos do azeite. A substituição deve ser feita na mesma proporção da receita original.

As especialistas lembram que estas trocas favorecem a saúde, mas não têm efeito para quem quer perder peso, uma vez que os produtos substitutos apresentam praticamente a mesma quantidade de calorias da manteiga ou da margarina. Para se ter uma ideia, uma colher de chá de margarina tem 40 calorias.

Confira as receitas no UOL

Partilhar

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

ANVISA SUSPENDE PRODUTOS INJETÁVEIS À BASE DE CHÁ VERDE

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a fabricação, a divulgação e o uso de medicamentos injetáveis à base de chá verde e de outros extratos vegetais que são vendidos com finalidade estética para o emagrecimento. A decisão foi publicada no último dia 8 no Diário Oficial da União (DOU) e entra em vigor nesta mesma data.

Segundo a agência, não há estudos que comprovem que esse tipo de produto é seguro e eficaz no que promete — ou seja, a redução de peso e “o combate às gorduras localizadas”, como divulgaram algumas propagandas dos produtos na internet. 

Por isso, o órgão suspendeu “fabricação, manipulação, distribuição, comércio, divulgação, administração e uso de quaisquer medicamentos de administração parenteral à base de extratos vegetais isolados ou em associação com outras substâncias vegetais ou sintéticas.”

Fonte: Revista Veja


Partilhar

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

ÓLEO DE ABACATE

Recém-chegado ao mercado nacional, o óleo de abacate está na fila para se tornar o próximo modismo "saudável". Novidade no segmento de produtos naturais, ele engrossa a lista de produtos ricos em ácidos graxos e esteróis, como o azeite de oliva e o óleo de coco, que vem ganhando adeptos. 

Em outras palavras, é alternativa aos óleos comumente utilizados na cozinha (milho, girassol, canola etc) e nova fonte de “gordura do bem”. Contém substâncias importantes para o equilíbrio do bom e do mau colesterol, assim como para controlar os níveis de glicose, ajudando a prevenir doenças cardiovasculares e diabetes.

Segundo pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), o óleo de abacate pode prevenir e controlar o nível de colesterol ruim e triglicérides no sangue. O estudo, publicado na Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos, avaliou que a substância extraída da polpa da fruta pode ser excelente matéria-prima para a indústria de alimentos. Ainda segundo a coordenadora da pesquisa, a professora Jocelem Mastrodi Salgado, o óleo de abacate é uma boa fonte de vitamina E (30ml do óleo suprem 18% das necessidades diárias de um adulto), um poderoso antioxidante. 

ABACATE É UM SUPER ALIMENTO

No entanto, há quem defenda que o consumidor pode se beneficiar de tudo isso apenas consumindo a própria fruta. É o caso da nutricionista Andrea Santa Rosa. Segundo ela, o abacate é rico também em ômega 6 e 9, e é bom aliado para o emagrecimento e a redução do estresse. “É uma gordura anti-inflamatória, facilitando a utilização da glicose pelas células. Como lanche da tarde, traz saciedade para aquela fome oculta que surge de repente. Já ingerida à noite, por exemplo, ajuda a melhorar o sono, baixando o nível de cortisol. Uma noite reparadora é importante para quem está tentando perder peso”, ensina. 

Andrea recomenda que, na cozinha, se alterne o uso do óleo de abacate com o azeite de oliva e o óleo de coco no preparo de alimentos. Para não serem vítimas de modismos, a nutricionista sugere que os consumidores fiquem atentos às informações geralmente menos óbvias nos produtos, como procedência, composição e embalagem, que não deve ser de plástico.

Fonte: GNT

Partilhar

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

VOCÊ SOFRE DE ENXAQUECA?


Mal que acomete cerca de 15% da população brasileira, segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBCe), a enxaqueca pode ser amenizada com algumas dicas simples, como comer de forma correta. "Evitar a hipoglicemia, que é a diminuição do açúcar no sangue, alimentando-se em intervalos regulares, ajuda a barrar as crises", explica Isolda Prado, nutróloga da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia). "Evitar os extremos, como comer demais ou de menos, também ajuda", frisa a médica.

A enxaqueca tem um componente hereditário e é mais comum em pacientes com parentes que sofrem do mesmo problema. Entretanto, para o desenvolvimento da crise, é necessário que exista um gatilho ou uma influência ambiental. Um desses gatilhos pode estar no seu prato.

Alguns alimentos contêm substâncias que, quando ingeridas, desencadeiam ou pioram a dor de cabeça. "Para as pessoas que sofrem de enxaqueca, pode existir a sensibilidade para um ou outro alimento. O paciente deve procurar identificar ou associar a ingestão com o surgimento da crise, evitando a utilização daquele item", explica Prado. 

CAFEÍNA: substância presente no chocolate, no café e em bebidas como chá preto e refrigerantes pode provocar enxaqueca se consumida em excesso. Segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia, o ideal é ingerir até 200 mg de cafeína por dia, distribuídas entre todos estes alimentos. Parar repentinamente de consumi-los não é bom, pois ocorre a abstinência de cafeína, o que também pode causar enxaqueca. 

GLUTAMATO MONOSSÓDICO: tempero que realça o sabor, comum em produtos industrializados, como os salgadinhos de pacote, pode inibir a absorção de glicose por parte das células cerebrais, desencadeando a enxaqueca. 

NITRITOS E NITRATOS: usados para fixar a cor em carnes processadas, estão presentes em alimentos como salame, presunto, mortadela e salsicha. Por sua ação vasodilatadora, podem dar origem à enxaqueca. 

AMINAS: pessoas que sofrem de enxaqueca podem ter um metabolismo mais lento em relação a essas substâncias, o que desencadearia as crises. Elas estão presentes em bebidas alcoólicas, como cerveja e vinho (em especial o tinto), chocolate, queijos maturados, embutidos, molho de soja e carnes defumadas.

FRUTAS CÍTRICAS: como limão, laranja e abacaxi aumentam a absorção de cobre, substância que pode ter um metabolismo anormal em quem sofre de enxaqueca. 

LACTOSE: quem tem intolerância à essa substância, presente no leite e seus derivados, pode ter a enxaqueca agravada se consumi-la. 

LIPÍDEOS E ÁCIDOS GRAXOS: em níveis aumentados, essas substâncias, presentes em alimentos gordurosos e em oleaginosas, como nozes e amendoim, podem deflagrar crises de enxaqueca. 

ASPARTAME: presente em adoçantes e alimentos dietéticos, pode agravar a enxaqueca, segundo a Sociedade Brasileira de Cefalia. Neste caso, vale a regra de observar a reação consumo x nova crise.

ALIMENTOS GELADOS: sorvetes e bebidas muito geladas, quando em contato com o céu da boca, causam uma rápida contração e dilatação dos vasos sanguíneos na cabeça, podendo dar origem à enxaqueca. 

FICAR SEM COMER: o jejum é o aspecto alimentar mais importante para desencadear dores de cabeça, segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia, pois pode gerar uma baixa no açúcar do sangue, com a produção de substâncias que causam dor. O ideal é alimentar-se em intervalos regulares, a cada 3 ou 4 horas. 

Dormir mal e viver sob estresse são outros fatores que pioram a enxaqueca. Por isso, não é surpresa que a população em idade produtiva (entre 25 e 45 anos) é uma das mais acometidas por esse mal, segundo estudo feito pela SBCe e o hospital Albert Einstein. É justamente nesta fase da vida, quando se trabalha com bastante intensidade, que o estresse e as poucas horas de repouso tendem a virar rotina. Nestes casos, lançar mão de técnicas de relaxamento e estabelecer padrões regulares de sono podem ser boas formas de evitar novas crises.

Também chamada de migrânea, a enxaqueca é apenas um entre os mais de 150 tipos de dor de cabeça reconhecidas pela Sociedade Internacional de Cefaleia, e está entre as mais comuns dores de cabeça primárias, ou seja, aquelas que surgem espontaneamente, sem uma causa aparente. Além da dor, os pacientes costumam apresentar outros sintomas durante a crise de enxaqueca, como fotofobia (sensibilidade à luz), fonofobia (sensibilidade ao som) e intolerância a odores (osmofobia). Outros sintomas frequentes são náuseas e vômito.

Algumas pessoas apresentam na fase que precede a crise de dor fenômenos neurológicos transitórios chamados de "aura". As mais frequentes são a percepção de manchas no campo visual, como linhas brilhantes ou em ziguezague, e sensação de dormência de um membro, geralmente nas pontas dos dedos, na língua ou nos lábios. Formas menos comuns incluem incapacidade temporária para falar (afasia) ou fraqueza (paresia) de um ou mais membros de um lado do corpo.

A enxaqueca pode durar de quatro a até 72 horas, se não for tratada. Se passar desse período sem melhora, pode ser necessária até uma internação. Tem intensidade moderada a intensa e a dor é descrita como latejante e unilateral (em apenas um dos lados da cabeça). 

Nos casos mais graves e frequentes, o tratamento inclui medicamentos para serem usados durante a crise e para evitá-las. Estes remédios devem ser prescritos pelo neurologista, que avaliará com mais precisão cada caso, após consulta médica. "Uma repetição das crises indica a necessidade de um tratamento preventivo", diz o neurologista Mario Peres, do hospital Albert Einstein.

Vale lembrar que o abuso no uso de analgésicos, comumente usados por conta própria para aliviar dores de cabeça, pode vir a agravar a enxaqueca, tornando-a a mais resistente a longo prazo. "A tomada exagerada de analgésicos, diariamente, pode agravar a dor de cabeça. Atenção especial aos analgésicos que contém cafeína", pontua Peres. Isso porque essa substância é também é um fator precipitante da enxaqueca, se consumida em excesso. Em seu site, a SBCe frisa que "analgésicos não tratam a enxaqueca, só aliviam a intensidade e duração das crises, depois que ela já se instalou".

Fonte: Uol

Partilhar

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

BATATAS FRITAS PRÉ-COZIDAS PODEM CAUSAR CÂNCER

Muito apreciada em restaurantes, redes de fast-food e bares, as batatas fritas congeladas podem causar câncer, de acordo com um estudo publicado no Jornal of Agricultural and Food Chemistry

Os cientistas descobriram que a o alimento pré-cozido pode conter níveis elevados de um produto químico que é possivelmente nocivo à saúde. As informações são do Daily Mail.

Essas batatas chegam aos restaurantes fatiadas e parcialmente cozidas. Isso significa que elas não precisam de muito tempo para chegar à versão final e podem ser servidas rapidamente aos clientes. Mas esse processo de fábrica pode influenciar na quantidade de acrilamida do alimento, um provável cancerígeno humano.

"O processo de seleção inclui triagem, corte, branqueamento, o aumento do açúcar, secagem, fritura e congelamento. Em combinação com o cozimento final, isso gera a cor, textura e sabor que os consumidores esperam em batatas fritas”, explica o químico Donald Mottram.

De acordo com o estudo, os níveis de acilamida, aminoácidos, açúcares, gorduras e outras substâncias oscilaram durante o processo de cozimento. "A acrilamida forma naturalmente durante o cozimento de muitos produtos alimentares. A formação de acrilamida em produtos de batata frita é inevitável”, explicou Donald.

Segundo o relatório, para minimizar as quantidades de acrilamida em batatas congeladas é importante compreender o impacto de cada fase de sua produção. O estudo mostrou ainda que a frutose e a glicose também colaboraram com essas mudanças e reações químicas que geram o composto cancerígeno.

Fonte: Terra


Partilhar

sábado, 6 de outubro de 2012

CARNE EM EXCESSO ENGORDA, DIZ ESTUDO



Um estudo do Imperial College London revelou que carne em excesso pode engordar. O estudo europeu analisou mais de 400 mil adultos de países como Dinamarca, Alemanha, Espanha, Suécia e Holanda. A conclusão foi que as dietas de proteína não são a melhor opção para manter a perda de peso a longo prazo.

A pesquisa descobriu que os voluntários com a dieta mais rica em carne engordaram mais do que as pessoas que optaram em comer proteína animal apenas algumas vezes na semana ou seguiam uma dieta vegetariana. Outros estudos apontam também que além do ganho de peso, o consumo excessivo de carne está ligado a um aumento de diversos tipos de câncer.

Os cientistas ainda não sabem qual é a ligação entre a carne e o ganho de peso, principalmente quando as calorias da dieta permanecem inalteradas. A porção ideal de carne recomendada pelos médicos é um bife do tamanho da palma da mão. Os médicos aconselham o consumo de ovos, queijo, lentinhas e peixes em substituição à carne vermelha.

Fonte: Terra


Partilhar

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

SEM EMAGRECEDORES, OBESIDADE SE AGRAVA NO PAÍS


Hoje, a proibição da venda dos derivados de anfetamina no Brasil completa um ano. A decisão da diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) retirou definitivamente das farmácias os remédios femproporex, anfepramona e mazindol, usados no tratamento da obesidade. Sessenta dias após o anúncio, em janeiro de 2012, as drogas tiveram de desaparecer das farmácias. 

"Não há nenhuma perspectiva de que esses remédios retornem ao mercado. Essa discussão foi encerrada", diz Dirceu Barbano, presidente da Anvisa. Com o tratamento interrompido, milhares de brasileiros viram o ponteiro da balança ir cada vez mais longe nos últimos nove meses. A obesidade, uma doença crônica que está virando uma epidemia no mundo todo, voltou a assombrar pacientes que não conseguem emagrecer com a combinação de dieta e exercícios físicos. 
Para muitos deles, o único medicamento do mercado especificamente destinado a esse fim - a sibutramina, um anorexígeno que não tem anfetamina em sua fórmula - não é eficaz. Com os quilos a mais, doenças que andavam controladas ou nem existiam acabaram voltando à tona — como diabetes e hipertensão.

O tratamento medicamentoso não faz milagres — tampouco é recomendado a todos os pacientes. Dados disponíveis sobre a sibutramina, por exemplo, mostram que ela é receitada a uma parcela pequena dos obesos. "Pelos dados da Anvisa, em 2010, 1,7% dos obesos brasileiros receberam indicação de sibutramina. Esse número é muito pequeno, significa que os medicamentos não fazem parte do tratamento rotineiro", diz Ricardo Meirelles, ex-presidente da SBEM e membro do grupo médico que defendeu a permanência dos anorexígenos durante as reuniões com a Anvisa.

Para um certo perfil de paciente, contudo, o uso de remédios é a única saída. Ele é indicado para pessoas obesas (IMC maior que 30) ou que tenham sobrepeso mais alguma doença associada, e que não tenham histórico de problema cardiovascular ou de condição psiquiátrica importante. "Quando a perda de peso com dieta e exercícios físicos não funcionam, há a indicação para o início do tratamento farmacológico", diz Airton Golbert, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Orientações da diretriz da SBEM afirmam que a perda de peso já é eficaz quando ela é igual ou maior a 1% do peso corporal por mês. Emagrecer de 5% a 10% do peso inicial já traz benefícios e reduz riscos de desenvolver diabetes e problemas cardiovasculares.

Após o anúncio da proibição pela Anvisa, o Ministério Público Federal de Goiás abriu inquérito sobre a decisão da agência. De acordo com Ailton Benedito de Souza, procurador responsável pelo inquérito, a ação judicial foi ajuizada no dia 2 de agosto deste ano. "Agora a Anvisa tem 60 dias para contestar. Depois disso, o juiz dá o seu parecer final", diz Souza. Na ação pública foi alegado que os medicamentos já estavam no mercado há décadas e que faziam parte de uma rotina dos pacientes. Ainda no âmbito público, está agendada uma audiência pública para o dia 9 de outubro pela Comissão de Seguridade Social e Família, na Câmara dos Deputados, com a finalidade de discutir a decisão final da Anvisa. 

OFF LABEL

Com a proibição dos derivados de anfetamina do mercado, entraram em cena com força o topiramato, a bupropiona e a liraglutida. Nenhum desses três medicamentos é aprovado para o tratamento da obesidade. A indicação oficial do topiramato é para casos de enxaqueca e epilepsia; a bupropiona, um antidepressivo usado para combater o vício em cigarros; já a liraglutida - conhecida por seu nome comercial, Victoza - é usada no tratamento do diabetes. Essa drogas, no entanto, têm sido receitadas para o tratamento da obesidade numa prática chamada off label. Em outras palavras, elas ganham outras finalidades que não aquelas previstas em bula. Em alguns pacientes, esses três remédios podem ter a mesma função dos anorexígenos: ajudar na perda de peso.

De acordo com a endocrinologista Nina Rosa Castro Musolino, presidente da regional de São Paulo da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), quando o paciente não consegue emagrecer com dieta e exercício, e não responde à sibutramina, uma opção é o uso off label. O problema, no entanto, é que uma boa parte das pessoas não responde bem a esses medicamentos. Segundo os endocrinologistas consultados pela reportagem, a prescrição de todos esses medicamentos off label têm aumentado nos últimos meses. "Conforme se tem menos recursos, você começa a usar aquilo que tem em mãos. O que não pode acontecer é você não tratar o paciente", diz Ricardo Meirelles. 

SIBUTRAMINA

Nem a sibutramina está garantida. O medicamento está passando por um período de testes pela Anvisa. De acordo com Dirceu Barbano, no fim do ano a agência deve decidir se a medicação continua ou não no mercado brasileiro. Tudo vai depender de relatórios mercadológicos e sobre os efeitos adversos que forem registrados nesses doze meses. Dados preliminares do levantamento que se encerra em dezembro apontam que houve no país uma redução de 4% no número de prescrições e de 34% no volume da sibutramina vendida. Segundo Barbano, essa queda pode ter sido causada pela redução no número de pessoas que tomavam a sibutramina de maneira indevida.

FIM DA LINHA
A redução no leque de possibilidades terapêuticas seria contornável não fosse um fato já muito conhecido: o metabolismo dos obesos não é igual. Alguns respondem melhor a uma droga, outros se adaptam melhor a outra. Na realidade atual, isso significa que a sibutramina pode ser um ótimo plano B para um grupo de pacientes, e completamente nulo, e até arriscado, para os demais.
Entre aqueles que ficaram sem opção, a alternativa cirúrgica começa a despertar interesse. Segundo Ricardo Cohen, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), a operação é indicada apenas para obesos mórbidos (IMC acima de 35), pacientes que já não respondem bem aos remédios. "Há sim um crescimento no número de cirurgias, mas isso se deve a sua maior divulgação e ao fim da mitificação do procedimento", diz. Há ainda o grupo de pacientes que, não sendo elegível à bariátrica e não respondendo bem aos off label ou aos medicamentos que sobraram no mercado, não tem outra alternativa senão esperar. 

Partilhar

terça-feira, 2 de outubro de 2012

SAIBA COMO OS EXERCÍCIOS FÍSICOS PREVINEM DOENÇAS DO CORAÇÃO

Os exercícios físicos estão na lista de orientações dos médicos para prevenir doenças cardiovasculares. Mas será que todas as atividades são iguais? De acordo com o cardiologista Fábio Alves Torres, doVitta Exercício & Clínica de Saúde, “os melhores exercícios são os aeróbicos.

Para que eles protejam o coração contra doenças é preciso atingir uma determinada frequência cardíaca, que deve ser mantida para que haja a proteção da função cardíaca”. A seguir, entenda como a prática de atividades físicas pode evitar doenças cardiovasculares:

BENEFÍCIOS - Segundo a cardiologista Isa Bragança, da clínica Cardiomex, a prática de exercícios físicos é capaz de reduzir as taxas de colesterol no sangue, fator que pode levar ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares. “Com exercícios regulares e uma dieta equilibrada é possível evitar a administração de medicamentos para redução do colesterol”. Fábio completa: “A elevação da frequência cardíaca, provocada pela prática de exercícios, estimula o trabalho cardiovascular. Esta elevação no momento da atividade também provoca a redução do ritmo cardíaco em repouso, com menor esforço. Durante os exercícios há ainda a produção de óxido nítrico, que atua como vasodilatador”.

RECOMENDAÇÕES - Os exercícios aeróbicos apresentam maior benefício cardiovascular. “Caminhada, corrida, natação, ciclismo, futebol, vôlei, basquete e tênis estão entre os melhores exercícios para a saúde do coração. Para fazer bem a ele, a frequência cardíaca durante as atividades físicas deve atingir 60%, no máximo", diz Fábio, que ainda orienta sobre como calcular a frequência cardíaca: "Pode ser encontrada fazendo a seguinte conta: a sua idade menos o valor 220”. 

FREQUÊNCIA - “Para fazer bem ao coração é preciso praticar de 150 a 200 minutos semanais de exercícios aeróbicos. Este tempo pode ser dividido em três a cinco sessões de 30 a 50 minutos cada. Você pode variar as atividades, mas, para que tenham benefício cardiovascular, é preciso praticar exercícios por, no mínimo, 20 minutos. Neste caso, o objetivo da atividade é manter a frequência cardíaca. Se o seu objetivo inclui a perda de peso, cada sessão de exercícios deve ter 40 minutos ou mais”, explica o cardiologista Fábio Alves Torres.

INDICAÇÕES - Para Fábio Alves Torres, “em geral, as atividades físicas trazem muito mais benefícios para o coração do que riscos, principalmente no caso de exercícios com intensidade leve a moderada. Para evitar complicações cardiovasculares decorrentes do esforço, é preciso manter o check-up em dia. Dos 20 aos 40 anos, é preciso realizar os exames a cada cinco anos. A partir dos 40, as avaliações devem ser anuais ou semestrais, no caso de doenças ou riscos específicos”. A cardiologista Isa Bragança explica que “mesmo pessoas com risco cardíaco precisam praticar exercícios, mas é necessário ter acompanhamento e liberação do médico, que irá recomendar a atividade ou esporte ideal”. 

Fonte: GNT


Partilhar

domingo, 30 de setembro de 2012

CHOCOLATE COM SUCO DE FRUTAS


E se nós contássemos que é possível desenvolver um chocolate com (quase) o mesmo gosto do doce original, mas com a metade das calorias? Pois cientistas da Universidade de Warwick acharam uma maneira de fazer exatamente isso – substituindo as gorduras da delícia por suco de frutas.

Segundo os pesquisadores, o chocolate ‘genérico’ teria o mesmo gosto e até a mesma textura do doce original. A ideia era manter todas as propriedades da guloseima concedidas pela gordura (a textura, o sabor e a sensação de felicidade), mas com uma substância alternativa. Por isso eles se voltaram para o suco.

Os cientistas descobriram que o suco de laranja e o de framboesa, assim como água com ácido ascórbico, podem substituir o leite e suas gorduras na hora de preparar o chocolate. A textura fica a mesma, com uma leve diferença no sabor, que ficaria ‘frutado’.

O próximo plano dos pesquisadores é apresentar a nova técnica de fabricação de chocolate para a indústria. Agora, resta esperar até o produto chegar às prateleiras.

Fonte: Revista Galileu


Partilhar

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

12 MELHORES ALIMENTOS PARA MANTER O CÉREBRO SAUDÁVEL


Mente cansada, falta de concentração ou preguiça de pensar? Tudo isso pode ser falta de alimentar o cérebro. Mesmo! Um estudo inglês apontou o óbvio: fazer refeições balenceadas é garantia para uma mente sadia. O café, por exemplo, melhora a memória e a aquisição de novas informações. Já o alho ajuda a combater tumores no cérebro. Essa lista dos doze melhores alimentos para o cérebro foi feita pelo Huffington Post e nós achamos mais do que propícia. Confira… 

NOZES são excelentes antiinflamatórios e ricos em ácido alfa-linolênico que ajuda a promover o fluxo sanguíneo e oxigenação no cérebro.

ÓLEO DE OLIVA ajuda a retardar o envelhecimento do cérebro. 

FRUTAS VERMELHAS ajudam no combate a falta de memória e de concentração. 

SARDINHA previne a demência e aumenta o nível de atenção. 

CAFÉ é um excelente estimulante e promove a acuidade cerebral, além de ter efeito antioxidante que mantém a saúde do cérebro. 

ESPINAFRE contém antioxidante e ajuda na manutenção da cognigção. 

CHOCOLATE ajuda no fluxo sanguíneo e na oxigenação do cérebro, além de regular os níveis de colesterol. 

ABACATE é rico em gordura monoinsaturada e funciona como alimento antioxidante. 

ÁGUA ajuda no processo de cognição. Um corpo desidratado tem efeito nas funções cerebrais. 

FARELO DE TRIGO é um ótimo alimento para os neurotransmissores. 

BETERRABAS ajudam na oxigenção do cérebro. 

ALHO é ótimo no combate à tumores no cérebro.

Fonte: GQ

Partilhar

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

HIDRATAÇÃO DAS CRIANÇAS NOS DIAS QUENTES


Em dias quentes, como os que têm feito nos últimos dias em vários estados do Brasil, a atenção com as crianças deve ser redobrada. Alimentação e roupas leves e bastante líquido estão entre os principais cuidados. Por conta do calor, elas perdem muito líquido pela transpiração e pela urina. Por isso, não espere que o seu filho peça um copo de água para você. Lembre-se de que a criança precisa de pelo menos 4 copos de água por dia para manter a hidratação e o bom funcionamento do intestino. 

A criança fica com os olhos fundos, sem brilho, com a boca seca e a saliva espessa, além de perder elasticidade da pele e diminuir a quantidade de xixi. Ela pode ainda alternar momentos de agitação e apatia. Se a desidratação for leve, os pais conseguem contornar a situação oferecendo líquidos em casa, mas, em casos mais graves, é preciso que fique no hospital. 

MEDIDAS SIMPLES PARA OS DIAS QUENTES

- Ofereça água ao seu filho, mesmo que ele não peça. Sirva em pequenas quantidades e, de preferência, mais para o gelado do que em temperatura ambiente, que torna a absorção mais rápida; 

- Água de coco e chás, como erva doce ou cidreira, também são boas alternativas; 

- Evite os refrigerantes. Além de gaseificados, têm açúcar, o que faz com que a criança perca ainda mais água pela urina. Se ela tomar uma bebida com açúcar, a próxima deverá ser água; 

- Os sucos de melão e melancia têm alto poder de hidratação, são fontes de potássio e água e não precisam ser adoçados; 

- Os alimentos também ajudam a hidratar e devem ser sempre frescos e de fácil digestão. Incentive o consumo de frutas, legumes e verduras. E não se assuste: é normal o apetite da criança diminuir em dias quentes; 

- O ambiente onde a criança está deve ser sempre arejado, inclusive durante a noite. Se for preciso, use um ventilador, desde que o vento não fique direto nela; 

- Deixe seu filho com roupas frescas. Dê preferência aos tecidos de fibra natural, como o algodão, que absorvem o suor do corpo e mantém a temperatura do organismo. Está em dúvida se o seu bebê está com frio? Observe as mãos e os pés dele. Se estiverem quentinhos, não é preciso colocar mais roupa; 

- Cuidado com o sol. Em excesso, ele pode desidratar a criança, além de provocar graves queimaduras. Evite ainda que fique exposto ao sol entre 10h e 16h. Deixe seu filho sempre protegido, com protetor solar, boné, roupa confortável e leve. Inclusive quando ele for para a escola. Se for à pé, use um guarda-chuva para protege-lo do sol; 

- Na lancheira (que deve ser térmica), nada de pães com patês, maionese e embutidos. O melhor são sucos, frutas e um sanduíche bem leve, como com recheio de queijo branco e cenoura ralada. 

- As crianças que se alimentam exclusivamente com o leite materno não precisam de complemento na hidratação, a não ser em casos específicos. Observe o volume do xixi do seu filho. Se ele diminuir, é preciso conversar com o pediatra. 

- Evite ambientes fechados e aglomerações. Além de ser desconfortável para a criança o calor em excesso, há risco de ela pegar uma infecção viral. Fique atenta com a diarreia, o vômito e a febre, principais sinais de virose.



Partilhar

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

QUANTOS LITROS DE ÁGUA PRECISAMOS BEBER POR DIA?


De acordo com o médico Alexandre de Souza, em seu livro “Anti-aging, beleza e juventude em qualquer idade”, a quantidade de água necessária depende de diversos fatores. Como regra geral, o corpo de um adulto necessita aproximadamente de quatro litros de água por dia, mas é importante compreender que a maioria dos alimentos que ingerimos já contém bastante água.

Para determinar a quantidade ideal de água é preciso levar em consideração a composição do corpo, peso, altura, tipo de atividades desenvolvidas, idade e vários outros fatores, que não dependem do corpo, como a época do ano e até a região em que se mora. Também é muito importante entender que alguns problemas médicos, como doenças cardíacas e renais, podem ser agravados pelo excesso de água. Portanto, é muito importante ajustar a quantidade.

Quando o corpo recebe água suficiente para funcionar direito os benefícios são percebidos imediatamente. Os fluidos ficam balanceados e você alcança o ponto em que todas as funções operam em perfeita ordem. Você também eliminará dejetos ou toxinas antes que elas sejam depositadas em seus órgãos vitais. Diversos estudos mostram muitos benefícios relacionando o consumo de água e com a saúde, como melhora dor de cabeça, constipação, fadiga, fraqueza, irritabilidade, entre outros. Até a perda de peso está relacionada com a quantidade de água ingerida.

- NÃO BEBA TODA A ÁGUA DE UMA VEZ. O corpo necessita de um fluxo contínuo de água, já que não consegue armazená-la. Se você bebe muita água, o corpo irá eliminá-la antes que seja usada. Portanto, a quantidade total de água a ser ingerida diariamente deve ser bebida em intervalos de duas a quatro horas ao longo do dia, a maior parte nas primeiras horas do dia e menos nas últimas horas, para evitar problemas como vontade de urinar durante a noite, interrompendo o sono. Crianças e idosos não devem beber muita água após as 18 ou 19 horas.

- NÃO ESPERE ATÉ SENTIR SEDE PARA BEBER ÁGUA. Se você só bebe água ao sentir sede, está esperando demais. Neste estágio, seu corpo já está acendendo a luz vermelha e avisando que você já está desidratado. Em termos de ideais, você deve beber uma quantidade balanceada ao longo do dia para não sentir sede. Nos idosos e nas crianças o mecanismo da sede não funciona muito bem, e, consequentemente, eles podem ficar desidratados sem que o corpo dê sinais.

A água é vital e melhora nossa qualidade de vida. O que você está esperando? Beba água!

Fonte: GNT


Partilhar

sábado, 22 de setembro de 2012

VANTAGENS DO CHICLETE SEM AÇÚCAR


Passatempo, vício ou paliativo contra a fome, o chiclete é uma guloseima rodeada de mitos, especialmente a versão sem açúcar. Quem nunca ouviu, por exemplo, que mascar chiclete sem açúcar substitui a escovação? Ou que a goma causa dor de estômago? Para esclarecer essas e outras questões sobre o assunto, conversamos com uma equipe multidisciplinar de especialistas. Teste seus conhecimentos. 

MASCAR CHICLETE SEM AÇÚCAR PREJUDICA A DIETA? Não. Ele até ajuda, porque diminui a fome. De acordo com a nutróloga Socorro Giorelli, da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), chicletes sem açúcar podem ser grandes aliados da dieta. "Mascar a goma antes da refeição ajuda a reduzir a fome e a vontade de comer doces em até 10%", afirma. O chiclete também pode ser uma ferramenta útil para momentos de ansiedade, já que o ato de mastigar reduz o estresse e estimula a concentração.

O CHICLETE SEM AÇÚCAR SUBSTITUI A ESCOVAÇÃO? Não, mas é melhor do que nada. O chiclete sem açúcar contém substâncias que colaboram com a prevenção da cárie por mudanças no pH bucal, mas ele tem uma capacidade de higienização limitada", afirma o cirurgião-dentista Rodrigo Bueno de Moraes, da Associação Brasileira de Odontologia (ABO). Segundo o especialista, nada substitui a escovação e o uso do fio dental, mas na falta destes, o chiclete pode ajudar.

MASCAR MUITO CHICLETE PODE CAUSAR DOR DE ESTÔMAGO? Não. Segundo a gastro-hepatologista Mônica Viana, coordenadora do Grupo de Fígado do Hospital do Servidor Público de São Paulo, mascar muito chiclete não causa dor de estômago. "Ele não estimula a produção de ácido clorídrico, então não afeta o estômago causando desconforto ou mesmo favorecendo a digestão", diz. Segundo ela, mascar muito chiclete sem açúcar pode causar, no máximo, dor mandibular pelo esforço repetido.

CHICLETE SEM AÇÚCAR AJUDA A DISFARÇAR O MAU HÁLITO? Sim. Como o chiclete estimula a produção de saliva, pode ajudar a disfarçar o mau hálito. Beber água é outra estratégia recomendada para evitar o mau cheiro. "Se o mau hálito for crônico, entretanto, o método funciona apenas como paliativo", afirma o cirurgião-dentista Rodrigo. Neste caso, é necessário fazer tratamento com um especialista.

CHICLETE SEM AÇÚCAR PODE CAUSAR CÁRIE? Não. "A cárie é causada pela combinação de bactérias com nutrientes, especialmente o açúcar", afirma o cirurgião-dentista Rodrigo. Como o chiclete sem açúcar não se enquadra nessa relação, ele não causa cáries.

CHICLETES FAVORECEM O DESALINHAMENTO DOS DENTES? Não, eles podem até ajudar no alinhamento dos dentes. Mascar chiclete pode funcionar como uma fisioterapia mandibular. "Ao contrário de hábitos prejudiciais que podem gerar posturas e tendências que favoreçam o desalinhamento dos dentes, como roer as unhas, mascar chiclete pode prevenir desequilíbrios bucais", aponta o cirurgião-dentista Rodrigo. Se a mordida estiver incorreta, entretanto, mascar chiclete apenas reforçará o hábito.

CHICLETES PODEM GERAR AFTAS CASO: A pessoa tenha alergia a algum de seus componentes. Aftas são causadas principalmente por estresse, mudanças hormonais, deficiências nutricionais ou alergias alimentares. "Assim, mascar muito chiclete não causa aftas a não ser que a pessoa seja alérgica a alguma substância nele presente", explica a gastroenterologista Mônica.



Partilhar

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

REFRIGERANTES AUMENTAM CHANCES DE PARTO PREMATURO

Você já sabe que beber refrigerante não faz bem para a sua saúde, muito menos para a saúde do bebê durante a gravidez. Mas um novo estudo mostrou que o consumo desse tipo de bebida também pode contribuir para o parto prematuro. 

Pesquisadores da Sahlgrenska University Hospital em Gotemburgo, na Suíça, analisaram mais de 60 mil gestantes na Noruega e concluíram que as que bebiam mais de uma lata de refrigerante por dia tinham 25% mais chances de ter o bebê antes do tempo do que aquelas que nunca consumiam a bebida.

Outro fator observado foi a obesidade. As grávidas que estavam acima do peso e ingeriam pelo menos uma lata de refrigerante por semana tinham 30% mais riscos de ter parto prematuro. O número chegava a 41% para as que tomavam todos os dias. Apesar desses resultados, os especialistas afirmam que o estudo não é conclusivo.

Ainda assim, a recomendação de evitá-la permanece. “Refrigerantes em excesso são um importante fator de risco para a obesidade na gravidez e, consequentemente, aumento do risco de hipertensão e diabetes, entre outros”, afirma o obstetra Abner Lobão, coordenador do Serviço de Pré-Natal Especializado da Unifesp. Não existe uma medida segura, mas o ideal é que ele seja substituído por água e sucos naturais.

Fonte: Crescer


Partilhar

terça-feira, 18 de setembro de 2012

VINHO SEM ÁLCOOL TEM MAIS BENEFÍCIOS PARA O CORAÇÃO

Após pesquisas apontarem seus benefícios para o coração, beber uma taça de vinho tinto por dia se tornou uma prática estimulada. Um estudo recente sugere que o vinho sem álcool é ainda mais eficaz na proteção do organismo contra doenças cardiovasculares. 

Segundo pesquisadores da Universidade de Barcelona, a bebida reduz em 20% o risco de derrames e diminui em 14% as chances de desenvolver doença cardíacas. 

De acordo com os cientistas, o efeito protetor é encontrado em moléculas chamadas polifenóis e não no álcool da bebida, o que explicaria os resultados. O álcool é retirado no final do processo de produção, que segue a base do vinho tradicional, preservando o sabor e as propriedades benéficas. 

Eles também acreditam que a bebida não alcoólica seja capaz de aumentar a concentração de óxido nítrico no sangue, substância que relaxa os vasos sanguíneos.

REDUÇÃO DA PRESSÃO SANGUÍNEA DOS VOLUNTÁRIOS

No estudo, foram analisados 67 voluntários diabéticos com três ou mais fatores de risco para doenças cardíacas. Durante três períodos de quatro semanas, eles beberam vinho tinto, vinho sem álcool e gim, junto com as refeições. Ao final, apenas o vinho tinto desalcoolizado foi capaz de alterar a pressão sanguínea dos voluntários. A diminuição é suficiente para reduzir em 20% o risco de derrames e 14% as chances de desenvolver doenças cardíacas. 

Os pesquisadores ressaltam que os polifenóis possuem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes que podem ser úteis na prevenção de doenças, como o diabetes tipo 2. Café, chá, chocolate, couve, brócolis, amoras e framboesas também são fontes ricas em polifenóis.

Fonte: GNT

Partilhar

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

FILHOS ÚNICOS X OBESIDADE


O nosso corpo pode ser influenciado por nossa estrutura familiar? Ter um, dois ou nenhum irmão pode ser relevante para nossa saúde? Segundo estudo publicado no site Nutrition and Diabetes, a resposta é sim quando o assunto é obesidade. A pesquisa, realizada com 12.720 crianças entre 2 e 9 anos, de oito países da Europa, apontou que filhos únicos podem ter até 50% a mais de chance de desenvolver problemas relacionados ao peso se comparados com crianças nas mesmas condições que possuem irmãos. 

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores mediram o índice de massa corporal dos participantes, e seus pais tiveram que responder a um questionário sobre o estilo de vida dos filhos, que incluía os hábitos alimentares, tempo gasto assistindo a televisão, brincando, entre outros aspectos. O resultado mostrou que as crianças do estudo que não tinham irmãos passavam mais tempo na frente do computador ou televisão, tornando-se sedentários e comendo compulsivamente. 

Para Patrícia Spada, psicóloga especializada em obesidade infantil, as causas da obesidade infantil são complexas, por isso é necessário levar em consideração a dinâmica da família como um todo. “Como já sabemos, a genética, o sedentarismo, o modelo parental, o relacionamento e dinâmica familiar, temperamento e personalidade da criança, entre tantos outros fatores são aspectos que influenciam na doença”, diz. Assim, não é possível afirmar com segurança quanto qualquer um destes aspectos isolados pode ser decisivo para a ocorrência da obesidade. “Além disso, há crianças que são filhas únicas e apresentam nutrição perfeita”, lembra a psicóloga.

Isso quer dizer que, independente de você ser mãe de um único filho ou mais, se é do tipo que cai na tentação para recompensar a criança com um doce, ou uma comida, por alguma atitude positiva, ou a alimentação não é balanceada como deveria ser, o efeito da obesidade também estará presente na sua família. O mesmo vale para as atividades físicas. OK, ter só uma criança em casa pode até diminuir a frequência das brincadeiras que resultem em gasto energético, mas o seu estímulo será fundamental para tirar o seu filho do sofá e se divertir com ele, sempre. De quebra, você também vai gastar mais calorias.



Partilhar

terça-feira, 11 de setembro de 2012

OS 5 MELHORES SUPLEMENTOS PARA EMAGRECER


Perder peso é um esforço multidisciplinar. É preciso equilibrar a dieta, controlar a ansiedade, praticar exercícios físicos e escolher os suplementos alimentares corretos. De acordo com o livro “Viva em Dieta, Viva Melhor”, do nutricionista esportivo Rodolfo Peres, “existem muitas opções no mercado. É preciso escolher o produto de acordo com o seu objetivo final para alcançar o resultado esperado”. A seguir, o autor explica a função dos cinco melhores suplementos alimentares para perder peso: 

WHEY PROTEIN - Famoso nas academias, a proteína do soro do leite, conhecida como whey protein, melhora o rendimento durante a prática de exercícios e a recuperação após a atividade. Em pó, o produto deve ser preparado apenas com água, já que o leite pode retardar a sua absorção. E não adianta tomar o produto diversas vezes ao dia. O ideal é escolher um horário preferencial e consumir em jejum, antes ou depois da prática de atividades físicas. Logo após o treino, recomenda-se ingerir o whey protein junto com um carboidrato, evitando a utilização da proteína presente no produto como fonte de energia. 

CAFEÍNA - Presente em muitos produtos chamados de queimadores de gordura, conhecidos como fat burners, a cafeína estimula a quebra da molécula de gordura e aumenta a performance durante a prática de atividades físicas aeróbicas ou de força. A dosagem é variável e deve ser avaliada individualmente, já que algumas pessoas podem apresentar efeitos colaterais, como alterações gástricas e psicológicas. Em geral, recomenda-se o consumo de 3 a 6 mg de cafeína por quilo de peso corporal. Vale ressaltar que a suplementação com cafeína em cápsulas não deve ser usada para driblar o cansaço natural porque o estimulante pode debilitar ainda mais o corpo, provocando lesões. 

CLA (ÁCIDO LINOLEICO CONJUGADO) - É o tipo de produto com múltiplas funções. O CLA controla os níveis de insulina no sangue, auxilia na redução da gordura abdominal, promove uma alteração positiva nas proteínas ligadas ao metabolismo das gorduras e melhora as taxas de colesterol e triglicerídeos. Como consequência, ainda há um aumento na queima de gordura e ganho discreto de massa muscular. Para completar o pacote, estudos recentes sugerem que as cápsulas com a substância possuem propriedades anticancerígenas. 

L-CARNITINA - O consumo antes da prática de atividades aeróbicas potencializa o uso da gordura corporal como fonte de energia, com melhora também da capacidade física durante o exercício físico. Como auxiliar na perda de peso, recomenda-se a ingestão de 1 a 3 gramas diárias de L-carnitina em cápsulas ou na forma líquida. A suplementação com a substância é especialmente interessante para os vegetarianos, que apresentam, naturalmente, taxas mais baixas desta substância no organismo. 

ÔMEGA 3 -   Você achou que ele era benéfico apenas para a saúde? Os ácidos graxos ômega-3 são excelentes para a melhora da performance durante atividades físicas, elevando a potência aeróbica e a força muscular. Os peixes de águas frias, como salmão, e a semente de linhaça são as melhores fontes da substância, mas ela também é encontrada em cápsulas. Para obter os benefícios, consuma entre 2 e 4 gramas de ômega-3, todos os dias. 

Fonte: GNT
Partilhar

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

MITOS E VERDADES DA ALIMENTAÇÃO


Uma dieta balanceada ajuda na perda de peso e previne problemas de saúde. Mas você sabe qual a melhor fonte de ferro na alimentação? Beber refrigerante acaba com o enjoo? E misturar manga com leite, pode fazer mal? A seguir, veja respostas para principais mitos da alimentação: 

FEIJÃO É A MELHOR FONTE DE FERRO - Mito. Segundo a nutróloga Liliane Oppermann, "o ferro de origem animal tem mais capacidade de ser absorvido e aproveitado pelo organismo quando comparado ao mineral encontrado em leguminosas e vegetais. Carne vermelha, frango, peixe, frutos do mar são as melhores fontes de ferro. Entre os alimentos de origem vegetal, é possível encontrá-lo em grãos, como lentilha e grão de bico, ovos, açaí, amêndoas e vegetais verde escuros, como espinafre e couve". 

BEBER REFRIGERANTE DIMINUI O ENJOO - Mito. Segundo Liliane, a bebida pode até piorar o problema: “A liberação dos gases pela boca provocada pelo refrigerante não é agradável para quem já está enjoado. A acidez da bebida também desequilibra todo o organismo. 

MISTURAR MANGA COM LEITE FAZ MAL - Parcialmente mito. Não existem evidências de que esta combinação cause prejuízo à saúde, mas Liliane explica que esta tolerância é individual. “Pessoas sensíveis à lactose tendem a ficar com o intestino solto quando bebem leite. Por outro lado, a manga apresenta efeito laxativo, graças ao alto teor de fibras. A combinação dos dois alimentos pode provocar diarreia em alguns casos. 

COMER MAIS VEZES AO DIA AJUDA A EMAGRECER - Verdade. De acordo com a endocrinologista Carolina Mantelli Borges, da Clínica de Especialidades Integrada, “comer mais vezes ao dia significa diminuir o tamanho das porções ingeridas, o que provoca maior saciedade e estimula o metabolismo. Também é preciso mastigar bem os alimentos, sem pressa para engolir. Quando uma pessoa come muito rápido, engole uma quantidade de ar junto com o alimento que pode provocar o surgimento da barriguinha”. 

QUEM DORME POUCO SENTE MAIS FOME - Verdade. Carolina explica que “um corpo sem um momento de descanso acaba solicitando mais alimentos para se manter bem e acordado. Sem dormir, apetite e ansiedade aumentam, criando a necessidade de comidas mais gordurosas”. 

COMER GELATINA ACABA COM A CELULITE - Mito. Para Liliane, o colágeno presente na gelatina não é capaz de alterar o aspecto da celulite: “Este colágeno é absorvido como qualquer outra fonte de proteína. Se uma pessoa acostumada a consumir sobremesas calóricas, como bolos e tortas, passar a comer gelatina após as refeições poderá perceber melhora no aspecto da pele. Mas isto se deve ao fato de diminuir a ingestão de doces e não ao consumo específico de gelatina”. 

COMER OVO TODOS OS DIAS FAZ MAL - Mito. Segundo Liliane, uma pessoa saudável pode ingerir ovos diariamente, sem danos à saúde. “O ovo pode ser o substituto da carne em uma das refeições do dia, mas é preciso consumir vegetais, grãos e fibras. A prática de atividades físicas é a melhor forma de manter o colesterol sob controle e deve fazer parte da rotina”, diz a nutróloga. 

REFRIGERANTE DIET NÃO PROVOCA CELULITE - Mito. Segundo a nutróloga Liliane, “a alimentação é apenas um dos fatores causadores da celulite. Há questões hormonais, circulatórias e até psicológicas, já que o estresse também contribui para o surgimento do problema. Além do açúcar presente no refrigerante tradicional, corantes, conservantes e outros aditivos da versão diet podem levar ao surgimento de celulite. Associar estas substâncias ao sedentarismo, fumo e sobrepeso ainda eleva a sua incidência”.

COMER FIBRAS RESOLVE O PROBLEMA DA PRISÃO DE VENTRE - Parcialmente verdade. “As fibras ajudam na digestão e favorecem o funcionamento do intestino. O consumo de frutas, hortaliças, granola, aveia, linhaça, entre outros alimentos ricos em fibra, deve ser acompanhado pela ingestão de água. Quanto mais fibras você ingerir, mais água deve beber. Do contrário, elas podem causar inchaço, provocado pela produção de gases e aumento do bolo fecal”, explica Carolina Mantelli.

COMER BANANA PREVINE CÃIBRAS - Parcialmente verdade. “A banana é rica em potássio. A carência desta substância está relacionada ao surgimento de cãibras, mas não é só. Para fazer efeito é preciso existir uma relação hídrica e associação a outros eletrólitos”. Diz a nutróloga Liliane. Para equilibrar os eletrólitos é possível consumir alimentos que reponham o sódio perdido no suor, como a laranja. 

Fonte: GNT

Partilhar