quarta-feira, 7 de julho de 2010

TEMPERO: ESQUEÇA OS INDUSTRIALIZADOS

Evite os temperos prontos, cheios de aditivos e sódio, e aposte em ervas naturais para dar um sabor especial para churrascos, assados e outras comidas caseiras. Saiba agora os males dos produtos testados pela Pro Teste e como você pode utilizar produtos naturais para garantir sabor saudável para os seus pratos.
.
A maioria dos produtos testados chegam próximo da quantidade diária máxima dessas substâncias. Todos os produtos testados apresentam higiene adequada na fabricação e possuem um baixo teor de gordura total e de gordura saturada. Mas os altos teores de sódio e glutamato monossódico os vilanizam. O sódio, se consumido além dos limites diários recomendados, pode levar ao desenvolvimento da hipertensão ou piorar o problema se ele já existe. Numa dieta de 2.000 Kcal, a quantidade máxima de sódio que um adulto deve ingerir é de 2.400 mg. A maioria dos produtos testados apresentam quantidades que chegam perto dos limites diários por porção.
.
CONFIRA A QUANTIDADE DE SÓDIO POR MARCA: No caso dos temperos de sal e alho, Kitano, Sabor a Mi e Arisco ficam na faixa dos 70% da quantidade diária de sódio recomendada. O menos prejudicial é o Knorr Tok (32%). Entre os caldos de galinha, o Kitano é o que contém mais sódio (54% da quantidade diária recomendada), seguido por Jurema (48%) e Arisco e Sazon (47% cada). Os com menos sódio são Goodlight e Etti (37% cada). Já entre os temperos para aves, peixes e arroz, o Maggi Fondor (também indicado para temperar legumes e saladas) foi o que se saiu pior (55%) e o Kitano, melhor (25%).
.
SÓ UM PRODUTO NÃO TEM GLUTAMATO MONOSSÓDICO: O glutamato monossódico é um realçador de sabor, que pode ser usado para mascarar a pobreza dos ingredientes de produtos industrializados. Encontramos quantidades absurdas dessa substância em praticamente todos os temperos testados. As únicas exceções foram os temperos de sal e alho Arisco, que não contêm glutamato, e Kitano, que está dentro dos limites da legislação europeia. O pior foi o o tempero para aves, peixes e arroz Sazon.
.
TEMPEROS FRESCOS VALEM MAIS A PENA: Como não recomendamos o uso desses produtos, não indicaremos o melhor do teste e a escolha certa. Devido ao excesso de sódio e glutamato monossódico, os temperos industrializados não devem fazer parte da rotina alimentar. Só ocasionalmente pode-se lançar mão desses temperos. No dia-a-dia, o ideal são temperos frescos, como alho, cebola e demais ervas e especiarias.
.
Fonte: Temperus Gastronômico
Veja também:
Alecrim ajuda a reduzir toxinas em carne grelhada
Consumo de ervas será controlado pela ANVISA
Especiarias podem ajudar no combate à obesidade
Alho e cebola contra pedra na vesícula
.
Partilhar

3 comentários:

Nut. Juliana Tolêdo disse...

Ervas e temperos não industrializados são mais gostosos e saudáveis. A questão da suposta praticidade dos industrializados é somente falta de hábito! Uma boa combinação de temperos é imbatível em sabor...

Nut. Laila Biancardini disse...

Primeiramente, parabéns pelo BLog!! Lindo! A postagem é bastante pertinente, por causa da praticidade as pessoas abusam desses temperos e a publicidade dos mesmos, não deixa para trás. Hoje em dia existe tempero pronto para tudo: arroz, feijão, todos os tipos de carnes e saladas. Temos que resgatar os hábitos de nossos avós que tinha sempre uma erva plantanda para dar todo uma aroma especial na preparação!

Até mais!!

Christiane Rocha Veloso disse...

Juliana e Laila, uma alimentação temperada com ervas é muito mais saborosa, concerteza! É uma pena que estamos deixando, cada vez mais, estes hábitos de lado e dando preferência pela praticidade dos temperos industrializados. Vale ressaltar sempre o quanto as ervas são mais saudáveis! Obrigada pela visita! Beijos!