segunda-feira, 1 de março de 2010

SEM AÇÚCAR, MAS COM MUITO SABOR

Quando comemos um doce ou um prato de macarrão, os carboidratos desses alimentos são transformados em glicose e absorvidos pelo intestino delgado. Então, a glicose é levada ao sangue e, a partir daí, com a ação da insulina, é transportada para dentro das células, onde será convertida em energia. Esse é um processo normal do organismo. Não para os diabéticos. Neles, a insulina deixa de agir e a glicose fica circulando no sangue por muito tempo. Assim, falta energia para as atividades diárias e sobram problemas decorrentes do exagero desse tipo de carboidrato.
.
Hoje, sabe-se que uma alimentação equilibrada, aliada à prática de exercícios físicos, pode ser suficiente para estabilizar a situação e evitar qualquer complicação que a diabetes possa trazer. As fibras são o principal ingrediente para se manter bem. É de se ressaltar a importância dessa substância para a saúde dos diabéticos. Ela freia a absorção dos carboidratos, evitando os picos de glicose no sangue. Consumir um prato de macarrão ao sugo, por exemplo, elevará mais a glicemia do que se a pessoa comer uma quantidade menor desse alimento com um pedaço de carne grelhada e legumes cozidos.
.
Isso porque o carboidrato (nutriente em que o macarrão é abundante), quando ingerido sozinho, eleva mais a glicemia do que quando combinado a alimentos ricos em proteínas (como a carne) e ricos em fibras (como os legumes). Isso dá oportunidade ao pâncreas de produzir a quantidade de insulina necessária para compensar o açúcar ingerido na refeição, ou dá tempo para o medicamento contra a diabetes agir de forma adequada.
.
VEJA ALGUMAS OPÇÕES DE FIBRAS
.
* Aveia com frutas: a aveia tem altos teores de fibras solúveis que ajudam a reduzir o risco de diabetes, doenças cardíacas e câncer, além de combinar com tudo (ou quase tudo): com frutas, iogurte, ou mesmo no preparo de bolos e biscoitos. Dica: substitua seu café da manhã por um mingau de aveia com passas e amêndoas.
* Canela X açúcar: Essa especiaria melhora a sensibilidade das células à insulina - o hormônio responsável pelo transporte da glicose do sangue para dentro das células, facilitando a penetração do nutriente nelas. Porém, em excesso pode causar danos ao fígado e rins.
* Yacon: Essa raiz costuma ser vendida como um tipo de batata e ainda é pouco conhecida no Brasil. Sua presença tímida nos pratos do país, no entanto, se deve apenas à falta de conhecimento sobre seus inúmeros benefícios. Um deles é de suma importância para os diabéticos: o alimento diminui os níveis de glicose no sangue. A raiz não é rica em amido (um tipo de carboidrato) e possui açúcares conhecidos como frutanos, que atuam como adoçantes naturais.
* Levedo de cerveja: É o resultado do processo de fermentação da cevada durante a produção de cerveja. Rico em cromo e vitaminas do complexo B, que auxiliam na regulação da glicemia. O interessante é a versatilidade do alimento: pode ser misturado às saladas, sopas e hortaliças cozidas.
.
Adaptado da Revista Vida Natural
Veja mais:
Aveia
Cereais integrais os promotores da saúde
Canela ajuda a controlar o colesterol ruim
.
Partilhar

3 comentários:

Gabriel Valladares disse...

Veja se eu entendi: comer um prato de macarrão ao sugo nos fornece uma quantidade maior de energia, portanto é recomendado, por exemplo, na véspera de uma corrida longa (meia maratona, por exemplo). Já comer um macarrão na manteiga acompanhado de uma proteína, carne ou frango, fornece menos energia. Ambos seriam interessante na véspera, mas o ao sugo forneceria mais energia?
Seria por aí?

obrigado, abraço!

CHRISTIANE VELOSO disse...

Olá Gabriel!
No caso, a matéria falou sobre o efeito do açúcar no organismo de pessoas normais e com diabetes. O prato de macarrão, independente de ser ao sugo ou na manteiga é rico em carboidrato e, por isso, qdo ingerido sozinho eleva a glicemia mais rapidamente. Porém, qdo consumido com proteínas ou fibras (saladas) a absorção é mais lenta, sendo melhor para o organismo, principalmente, para os diabéticos que não possuem insulina suficiente para degradar a glicose e tranformá-la em energia...

Gabriel Valladares disse...

Legal Christiane, entendi.

Obrigado!