sexta-feira, 30 de abril de 2010

RAÇÃO HUMANA CAUSA POLÊMICA ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Ela causa repulsa pelo nome e euforia pelos benefícios que supostamente seria capaz de proporcionar: rejuvenescimento, bom funcionamento do intestino e até perda de peso, garantem os fabricantes.
.
A ração humana, uma farinha composta por cerca de dez ingredientes, virou moda. É a aposta da vez para aqueles que buscam emagrecer e cuidar da saúde. Como não há um estudo científico que ateste os efeitos positivos que a tal mistura promoveria no corpo humano, os especialistas ainda não chegaram a um consenso sobre o alimento.
.
O nutrólogo Mauro Sisberg, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), condena o uso da novidade até como complemento alimentar. "Sou a favor dos nutrientes de sua composição, como o trigo e a soja, mas não desta combinação e nem da dosagem. A mistura tem sido vendida como uma solução pronta, mas não tem comprovação médica. Uma colher desta ração não tem o poder de melhorar nada", diz.
.
Outro problema, segundo Sisberg, é que não há padronização da composição da ração. "Não se sabe nem mesmo a origem desta fórmula, assim como não há validação e padronização científica sobre a dosagem ideal. Teoricamente, a mistura de cereais é feita desde a década de 1950, mas não como uma fórmula única", afirma. Até mesmo os especialistas que indicam a mistura pedem cautela para o consumo, sobretudo para quem tem alguma doença. "O hipertenso não pode consumir a farinha porque contém guaraná, assim como o diabético não pode ingerir o açúcar mascavo que há nela e o farelo de trigo pode provocar diarréia", diz a nutróloga Socorro Giorelli, da Sociedade Brasileira de Nutrologia. "Atenção ao rótulo na hora da compra! Se for fabricar em casa, veja a procedência dos ingredientes", indica ela.
.
Doutor em Ciências dos alimentos pela Unicamp, o nutrólogo Edson Credidio compara a ração à multimistura criada pela médica Zilda Arns (fundadora da Pastoral da Criança), que tinha um preço mais popular e não era usada com o objetivo de emagrecer. "Acho válido o uso da ração humana porque o brasileiro consome pouca fibra", declara o profissional. "Necessitamos de 25g a 35 g por dia e a maioria das pessoas passa longe desta medida. A farinha pode ser um complemento se for adicionada aos lanches, mas nunca deverá atuar como substituta de refeições, pois isso pode causar carências nutricionais", diz.
.
A nutróloga Ellen Simone Paiva também é contrária à ração humana. O único benefício verdadeiro da mistura, segundo ela, seria melhorar o funcionamento intestinal. "Como a composição tem muita fibra, pode melhorar a flora intestinal, mas apenas se a pessoa tiver um estilo de vida completamente saudável", opina. Em um ponto todos os especialistas concordam: se optar pela ração humana, não dispense o acompanhamento médico.
.
Fonte: Editora Abril
Veja também:
Ração humana
Tipo de café da manhã influencia perda de gordura
Barra de cereais é um hábito saudável?
Cereais integrais: os promotores da saúde
.Partilhar

2 comentários:

Sandra Peres disse...

Eu sou técnica em nutrição e quero experimentar, tenho certeza que essa ração não faz milagres, mas ajuda, é um inicio para bons hábitos.

Acredito que ela possa substituir itens da refeição, por exemplo uma sobremesa, ou completar uma sopa no jantar, deve ser usada com sabedoria.

Beijos

morelifealimentos disse...

Gostaria de sugerir o uso das farinhas de Linhaça Dourada + Amora + Berinjela que levam a marca MORE LIFE e oferecem beneficios bem mais amplos que muitas rações humanas ofertadas no mercado.
Mais informações www.morelifealimentos.blogspot.com
31 86964004
Antonio sergio
Obrigado!